9, março, 2017

Tulleh Gracco: inspiração para a novidade com um toque tipicamente brasileiro

Tulleh Graco e Isabelle Ferreira, os criadores do Feijão Amigo
Tulleh Graco e Isabelle Ferreira, os criadores do Feijão Amigo

Em momentos difíceis, surgem grandes ideias… É nessa linha que se passa a história do nosso entrevistado de hoje, Tulleh Gracco, autor de um conceito inusitado e extremamente interessante. Com o desejo latente de empreender em um novo ramo, o difícil momento do mercado deu a Tulleh a oportunidade perfeita para que ele e a esposa Isabelle Ferreira adentrassem no universo da gastronomia. A dupla criou uma marca gastronômica na capital tendo por meta “não ser só mais uma”… Das referências pessoais do casal, surgiu o Feijão Amigo, um food truck de comida brasileira. Nas palavras do próprio criador, o Brasil é o “celeiro do mundo”, e honrar a cozinha do país, ao mesmo tempo em que se foge do tradicional investimento no ramo dos trucks focados em hambúrgueres, mostrou-se mais do que conveniente.

Confira abaixo a conversa que tivemos com o criador do Feijão Amigo.

Como se deu o nascimento do Feijão Amigo?

Surgiu da necessidade de empreender… Após 20 anos de atuação no setor de Tecnologia da Informação, a crise e o desemprego me abriram a porta do empreendedorismo de necessidade. Apesar de ser aconselhado frequentemente a ter o próprio negocio, por saber cozinhar, sempre tomei cuidado para o ego não falar mais alto, pois cozinhar nos finais de semana é diversão… Quando falamos de negócio, a coisa fica mais séria.

Em uma conversa com um amigo, o mesmo me aconselhou a vender feijoada na rua. A priori, não fui receptivo à ideia… Mas, depois, analisei com mais calma a possibilidade e a oportunidade que estava se abrindo e, com total apoio da minha esposa e atual sócia proprietária (Isabelle Ferreira) e familiares, surgiu o Feijão Amigo. Importante salientar que o nome Feijão Amigo teve como idealizadora a Isabelle.

Sanduíches
Nem só de feijoada vive o homem: sanduíches também são atrativo no food truck do Feijão Amigo (Divulgação)

De onde veio a inspiração para o Feijão Amigo?

Antes de darmos inicio à operação Feijão Amigo, fizemos uma pesquisa de mercado e observamos que o mercado estava muito voltado para o hambúrguer e pizzas, então tínhamos que entrar nele de forma diferente, ser mais um não iria chamar atenção e nem cliente. A ideia do Feijão Amigo tem como inspiração uma cozinha móvel que leve a boa comida para todos os lugares.

A princípio, a que se deveu a inusitada mistura de um food truck com o universo gastronômico da cozinha brasileira?

Observamos que o mercado de food truck estava mais voltado para a comida de outros países, então decidimos desenvolver um cardápio brasileiro e rico em sabores. Vivemos em um pais que é considerado o celeiro do mundo, com forte participação no agronegócio. Exportamos desde feijão a gado vivo, de rosas a vinho do sertão. Logo, por que não colocar a nossa comida brasileira, que é tao requisitada em outros países, dentro de um food truck? Nada tão inusitado que não possa dar dar certo se se conta com toques culinários tão ricos como os nossos.

Como você, Tulleh, se vê projetado na própria criação? O Feijão Amigo “carrega muito de você”?

Sempre cozinhei… Para mim, o ato de cozinhar tem como magia o poder da alquimia… Esse poder de transformar ingredientes simples em um sabor que pode marcar a vida de uma pessoa e seus amigos é fantástico. Mas cozinhar para amigos é fácil e divertido; já colocar um cardápio dentro de uma cozinha e comercializar é um desafio enorme.

Todo o cardápio do Feijão Amigo foi desenvolvido com experiências que eu e a Isabelle tivemos, mas sempre com o olhar de cliente, para que o tempero e texturas fiquem com um sabor inigualável e ao mesmo tempo simples. Sempre busco o melhor para cada prato que desenvolvemos, desde o processo de elaboração e relacionamento com fornecedor até a preparação de cada prato propriamente dita. Procuro estar presente em cada fase de preparação do truck e dos pratos… Respeitar cada processo que desenvolvemos e atualizar a versão até esgotar todas as possibilidades de melhorias.

Bolinhos de feijoada
Bolinhos de feijoada (Divulgação)

Houve dificuldades quanto à inauguração?

Sair do mundo dos bytes e das telas de computador para a cozinha é um desafio… Empreender é difícil, principalmente dentro de um universo tão competitivo, mas a necessidade transforma o homem e temos que fazer acontecer. Por isso, as dificuldades se tornam o tempero do crescimento. O mundo de um food truck é exaustivo, requer muito do nosso corpo e mente. Se por um lado não temos rotinas, a vida de circense gastronômico, de montar e desmontar, para um lado e para outro, desgasta o corpo e a mente. Mas ver a reação do cliente ao saborear o nosso prato não tem preço, e ainda temos a oportunidade de testar o nosso cardápio com diversos paladares. O nosso primeiro evento foi a prova de que termos que ter o pé no chão e se dedicar cada vez mais e mais, pois pagamos o preço do desconhecimento e sentimos o gosto amargo do prejuízo e desânimo.

Na cozinha, quais são suas principais inspirações? Qual é o grande motivo por detrás da escolha da cozinha brasileira como tema do Feijão Amigo?

O Brasil é a grande inspiração. Em todo canto do nosso país temos um sabor diferente e particular de cada lugar. No Norte, temos o tacacá. No Nordeste, o sertão domina a nossa cozinha cheia de historia arretada. No Sul, a grelha prepara os melhores cortes bovinos. No Sudeste, temos todos os sabores do mundo com toques do Brasil. Para finalizar, temos a magia da feijoada com o tempero do samba.

Quando estávamos projetando o Feijão Amigo, procuramos ter uma visão de fora e imaginamos um barzinho com feijoada, petiscos, comida de boteco… Incluímos o sanduíche por conta de uma estrategia de cardápio, e hoje é o nosso carro chefe.

TullehVocê enxerga a trajetória do Feijão Amigo, da criação até o presente momento, de que forma?

De uma forma incrível. Do inusitado para o realizado, encaramos um mundo novo cheio de desafios e particularidades, e conseguimos incluir o Feijão Amigo no circuito gastronômico e de eventos de Fortaleza, com um cardápio sempre em evolução e adequação. Abrimos divisas com viagens a outras cidades, como Eusébio, Aquiraz e Juazeiro do Norte, e em breve já iremos pegar a estrada de novo.

E os próximos planos e projetos da marca Feijão Amigo, o que você poderia nos adiantar?

A tendência de todo food truck é ter o seu ponto fixo. Creio que não vamos fugir dessa tendência, mas antes temos que consolidar ainda mais o nosso cardápio e aumentar a nossa lista de clientes e participação em eventos e shows.

O momento da economia pede cautela, por isso vamos caminhando, devagar e sempre… A transição de uma rotina de food truck para a de um espaço fixo requer uma mudança radical em procedimentos e metodologia de trabalho. O que termos como certo é a evolução do nosso cardápio e que essas novidades chegarão em breve!

 

Colunistas

Ver tudo
21 de março de 2017

Delícias de Canoa Quebrada: Barraca Chega Mais

Autor: Patrícia Ferreira (Gourmet Fortaleza)

15 de março de 2017

Conheça os petiscos saudáveis da Múskat

Autor: Raquel Pessoa

23 de fevereiro de 2017

Cinco alimentos que auxiliam na perda de peso

Autor: Raquel Pessoa

css.php