8, março, 2013

A aposta certa do Misaki

Como começou no mundo da Gastronomia?    Morei no Japão durante um tempo e quando voltei para o Brasil, fiquei um tempo parado procurando emprego como mecânico (minha profissão na época). Como não achei nenhuma vaga que me agradasse, uma amiga, que sabia que eu estava a procura de emprego, comentou que havia um restaurante precisando de um auxiliar de sushiman. Eu disse que não tinha nenhuma experiência nesse ramo e ela disse que não precisava de experiência, então aceitei o desafio.

 

Algum fato da sua infância teve influencia na sua decisão de seguir na gastronomia?

Hoje eu me recordo apenas que quando os familiares se reuniam em casamento, aniversários e encontros nos finais de semana tinha muito sushi, mas nunca havia me interessado em fazer ou até mesmo comer.

Como foi sua trajetória como sushiman em Fortaleza?

Comecei como auxiliar de sushiman no restaurante Mih Lig, da Parquelândia, no começo de 2008 e fiquei até 2009. Foi quando meu chefe na época, o Vanderlei, disse que eu estava perdendo meu tempo porque tinha um potencial muito grande. Então comecei a procurar novos locais para trabalhar com a função e fui chamado pelo Grupo Geppos (Misaki) para uma vaga de auxiliar de sushiman. Entrei em 2009 e em 2010 fui promovido para sushiman e em 2012 recebi um desafio pra ser Chef do Sushi no Misaki.

Há quanto tempo trabalha no Misaki e como vê esse trabalho hoje em dia?

Eu trabalho no Misaki desde 2009, já são 4 anos de muito esforço e dedicação. É uma alegria enorme de trabalhar em um dos restaurantes mais conceituados de Fortaleza que recentemente ganhou o premio da Veja 2012 como melhor Japonês, prêmio este que já havíamos ganhado em 2010. Eu vejo que cada treinamento que foi oferecido até hoje me serve como base para um bom desempenho dentro do Restaurante, me fortalecendo como profissional e assim posso fazer um bom trabalho para aqueles colaboradores que estão chegando na empresa.

Qual foi a inspiração para o cardápio de sushis do Misaki? Como surgem os sushis novos?
Eu me inspiro muito em grandes chefs renomados como Nobu, Murakami, Matsumoto e Alex Atala. Peguei um conselho do Alex Atala falando que não deveríamos buscar insumo longe, em outros estados ou até mesmo países porque o Ceará era rico em produtos da gastronomia. Não sei dizer ao certo como surgem as ideias para os sushis novos, apenas procuro usar um pouco da minha experiência como chef e utilizar novos temperos e sabores regionais e asiáticos.

 

Qual o diferencial para se sobressair no mercado competitivo de restaurante japonês em Fortaleza?

Sempre agradando a expectativa do meu cliente, buscando criar uma boa impressão para aqueles que não conhecem a culinária japonesa e trazendo todo mês uma novidade para o cardápio.

Quais são seus planos futuros?

Meus planos futuros são ingressar em uma faculdade no ramo de Gastronomia e fazer com que o Misaki seja a referência não só de Fortaleza como o melhor japonês, mas de todo o país.

Quando é sua vez de jantar prefere comida japonesa ou outro estilo? Qual seu prato preferido?

Nas minhas folgas gosto de sair para jantar em restaurante japonês, mas meu prato preferido é lasanha.

 

Como é o dia a dia no sushi bar do Misaki?

Meu dia a dia no sushi bar é sempre trabalhando com alegria para satisfazer a vontade de nossos clientes.

 

O que é mais gratificante no trabalho de sushiman?
O mais gratificante é ver o cliente sair satisfeito e deixando o seu elogio com o consultor gastronômico, dizendo que os sushis e os pratos estavam maravilhosos, e  voltando em outro dia, com a expectativa maior que a anterior.

 

Serviço
Misaki

Rua Desembargador Moreira, 1011 – Shopping Jardins Open Mall 
Funciona todos os dias no almoço e no jantar, de 11h30 até o último cliente.
Telefone: (85) 3433.1050

Colunistas

Ver tudo
16 de maio de 2019

Dragão Fashion Brasil ocorre em Fortaleza

Autor: Raquel Pessoa

15 de maio de 2019

Rodeio em Ribeirão Preto

Autor: Patrícia Ferreira (Gourmet Fortaleza)

7 de maio de 2019

Ambev traz chopp Stella Artois a Fortaleza

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php