5, outubro, 2015

Álcool: propriedades nutritivas e perigos das bebidas

Drinks-com-Whisky
Whisky, cerveja, caipirinha… Ele, o álcool, está em diferentes paixões brasileiras

“EU BEBO SIM”
(Luiz Antônio e João do Violão)

Eu bebo sim,
Eu tô vivendo.
Tem gente que não bebe
E tá morrendo
Tem gente que já tá com o pé na cova,
Não bebeu e isso prova
Que a bebida não faz mal
Uma pro santo, desce o choro, a saideira
Desce toda a prateleira,
Diz que a vida tá legal.
Eu bebo sim,
Eu tô vivendo
Tem gente que não bebe
E tá morrendo
Tem gente que detesta um pileque
Diz que é coisa de moleque, cafajeste ou coisa assim
Mas essa gente,
Quando tá com a cara cheia
Vira chave de cadeia,
E esvazia o botequim
Eu bebo sim,
Eu tô vivendo
Tem gente que não bebe
E tá morrendo

Caipirinha (Foto: Divulgação)
Caipirinha (Foto: Divulgação)

Está explicito que os compositores Luiz Antônio e João do Violão, no samba “Eu bebo sim”, usaram todos os argumentos possíveis e impossíveis para justificar que a bebida não faz mal. Usando o bom senso, de certa forma, o que faz mal realmente é o uso crônico e o excesso. É certo que existem pessoas que apresentam fatores clínicos importantes, e que realmente não devem ENCOSTAR em bebida, como cardiopatas, hepatopatas, nefropatas, diabéticos e hipertensos descompensados, pacientes que se submeteram à cirurgia bariátrica, dentre outras patologias. É importante que isso fique MUITO CLARO e seja avaliado sempre pelo médico e nutricionista!

O uso de bebidas alcoólicas é tão antigo quanto a própria humanidade. Beber moderada e esporadicamente faz parte dos hábitos de diversas sociedades. Determinar o limite entre o beber social, o uso abusivo ou nocivo de álcool e o alcoolismo é ainda algo bastante difícil, pois são tênues as diferenças, e variam de pessoa para pessoa e de cultura para cultura.

Para cada 1ml de álcool encontramos 7 Kcal, o álcool apresenta fatores antinutricionais, prejudicando a absorção dos seguintes micronutrientes: tiamina, cianocobalamina, aminoácidos, cálcio e zinco.

No tocante à porção da bebida alcoólica, uma dose de bebida contém, aproximadamente, 15g de álcool, que corresponde a uma porção de:
350 ml de cerveja – 137Kcal – (referente a 25 min de caminhada)
50 ml de bebidas destiladas – 116Kcal – (referente a 21 min de caminhada)
150 ml de vinho – 108 Kcal – (referente a 20 min de caminhada)

Resultado do meu exame iGenesis
Resultado do meu exame iGenesis

Não estou fazendo apologia ao álcool e nem incentivando o consumo, porém é interessante colocar para nossos leitores algumas descobertas científicas sobre o tema.

Hoje podemos contar com alguns testes genéticos, conhecido como iGenesis, que podem avaliar individualmente a sensibilidade genética ao álcool. Isso explica melhor porque algumas pessoas toleram alguns copinhos a mais do que outras e isso não vai ser tão prejudicial.

Esses testes preditivos auxiliam na compreensão do metabolismo de forma individualizada, para saber se a sensibilidade ao álcool é alta, média ou baixa.

E eu já fiz o meu teste… Em meu genótipo foi observada uma predisposição moderada em relação à sensibilidade genética do álcool. Isso quer dizer que minhas taças de vinho tinto seco estão autorizadas, mas é claro, com moderação!!!

Dra. Raquel Pessoa
Facebook: Nutricionista Raquel Pessoa
Instagran: NutricionistaRaquelPessoa
Consultório Pátio Dom Luis, 1200
Torre I – sala 606
Contatos: (85) 3067.4741 | 98733.1076
Colunista do Portal Sabores

Colunistas

Ver tudo
31 de agosto de 2019

Fim de férias no delicioso Hotel Parque das Fontes de Beberibe

Autor: Patrícia Ferreira (Gourmet Fortaleza)

css.php