7, maio, 2019

Aprenda a preparar e cozinhar frutos do mar

Chapa de Frutos do Mar 2
Preparar frutos do mar não é impossível, mas também não é para qualquer um: é preciso conhecer as especificidades de cada pescado (Divulgação)

Muita gente é apaixonada por bons frutos do mar, mas não sabe como prepará-los ou até tem receio, pois “ouviu falar” das dificuldades e especificidades no trato de cada marisco. Para quem adora culinária, a redação do Portal Sabores reuniu algumas dicas abaixo aos entusiastas da gastronomia: tem dicas para preparar peixe, camarão, lula e polvo. Confira como cozinhar frutos do mar. As sugestões são da Cláudia Lima, do blog Tempero, da Uol Comidas e Bebidas.

Peixe

Como escolher
Independentemente do tipo, a carne deve estar firme, as guelras com cor de beterraba bem vivas, olho brilhante e sem aspecto leitoso. Ou seja, peixe bom é peixe fresco! Cada um cada um É importante atentar que cada peixe tem o seu estilo e seu modo de cocção. Via de regra, a maioria é cozida brevemente. Mas peixes como garoupas, especialmente as grandes, por exemplo, precisam de cozimento mais longo. Aproveite tudo Nunca desperdice as carcaças, cabeças e espinhas de peixe fresco. Utilize para caldo, pirão, ensopados ou risotos, especialmente os peixes de carne branca.

Sem filé
Na prática, as peixarias nunca vendem peixe fresco em filé. Se o encontrar assim, muito provavelmente estará velho. Sempre compre o peixe inteiro e faça a limpeza em seguida, em casa. Ou peça para que o peixeiro prepare. Lembre-se: peixe bom é vendido inteiro e não em filé.

Coisa fina
A ova é uma iguaria indispensável, há muitos peixes com ovas deliciosas, como o robalo, o linguado, a abrotea e a tainha. Uma maneira de saboreá-las é fazê-las grelhadas, na churrasqueira – especialmente do atum e da tainha.

Rede do pescador
Na foto, a Rede do Pescador do Coco Bambu, que traz lagosta, camarão, mexilhões, peixe e lula grelhados acompanhada de arroz de açafrão (Divulgação)

Camarão

A compra
No geral, os camarões que já vêm descascados não são frescos. Por isso, compre sempre o camarão inteiro, com casca e cabeça. Você irá extrair o melhor do sabor! Preste atenção A cabeça deverá estar bem fixada ao corpo e sem manchas pretas. Se apresentar estas manchas, são sinais de oxidação e falta de frescor. Fuja!

Menos é mais
Deve-se cozinhar o camarão por no máximo 2 minutos, para que a qualidade e a maciez seja preservada. Se cozinhar demais ele perderá toda a qualidade, frescor e a textura.

Use a cabeça
Nunca desperdice as cabeças de camarões frescos: junte cebola, cenoura e outros temperos junto com as cabeças para fazer molhos e caldos saborosíssimos. Cuidado com os queijos Um conselho que sempre dou é: por ter um sabor delicado, camarão não combina com queijos curados e de sabores mais fortes. Use no máximo um queijo leve e fresco, como uma burrata ou mussarela de búfala.

Lula

Frescor
A lula é um ingrediente superdelicado e, como os outros frutos do mar, deverá estar bem fresca para ser consumida. Para descobrir, faça um teste: toque-a levemente e você verá que ela sutilmente muda de cor. Isso significa que está fresca e no ponto para ser consumida.

Como limpar
Limpe a lula com carinho e não desperdice os tentáculos, pois eles são muito saborosos. As vísceras e a região do olho devem ser descartadas. Cozinhe pouco Nunca cozinhe demais a lula. Sua cocção deve ser rápida – de 20 a 30 segundos em uma frigideira bem quente já é suficiente para que ela cozinhe.

No churrasco
Se a lula estiver bem fresca, você poderá fazê-la na churrasqueira, com todas as vísceras, sem tirar nada de dentro. Fica muito saborosa. Outra combinação fantástica que eu uso e abuso é lula grelhada com molho pesto. Aproveite a tinta A tinta de lula é ótima para fazer massas e risotos ou mesmo aproveitá-la para caldos (é com ela que se faz o famoso Risotto Nero di Seppia).

Frigideira de lula e polvo (Foto: Letícia Moreira)
Finalizando o prato (Foto: Letícia Moreira)

Polvo

A escolha
Fique sempre atento ao frescor do polvo. Na peixaria , a cor é o mais importante: ele deve estar cinza, e não roxo. Se apresentar esta coloração, não compre: ele está passado.

Como congelar
Assim que estiver com o polvo fresco, será necessário dar um ponto rápido de congelamento para que as fibras se quebrem e ele não fique borrachudo após o cozimento. Descarte a cabeça As pessoas costumam gastar muito tempo e ter muito trabalho para limpar a cabeça do polvo. Como ela renderá uma quantidade muito pequena, ela poderá ser descartada.

Cozimento
Polvo se cozinha como uma costela de boi, ou seja, com paciência e tempo, até ele ficar bem macio. O caldo Após o cozimento, teremos um caldo precioso, que poderá ser utilizado como base para fazer molho de uma boa massa ou um bom risoto.

Dica da Cláudia Lima, do blog Tempero, do Uol Comidas e Bebidas.

Colunistas

Ver tudo
31 de agosto de 2019

Fim de férias no delicioso Hotel Parque das Fontes de Beberibe

Autor: Patrícia Ferreira (Gourmet Fortaleza)

css.php