13, setembro, 2016

Cesta básica de Fortaleza registra aumento em agosto

Cesta básica continua a registrar aumentos neste mês de agosto
Cesta básica continua a registrar aumentos neste mês de agosto

Quem vive em na capital cearense já se habitou ao vai e vem de preços dos principais alimentos para consumo familiar em 2016. Neste mês de agosto, os 12 alimentos que compõem a cesta básica registraram uma inflação média de 1,67% em Fortaleza, saindo de R$403,38 (valor da cesta básica) em julho para R$410,11 em agosto deste ano segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A alta foi influenciada, principalmente, pelos preços do arroz, da banana e do leite, que aumentaram, respectivamente, 6,27%, 6,57% e 7,11%.

Os dados foram divulgados na quinta-feira da semana passada (09/09). Em julho, o Dieese já havia indicado que a cesta básica de Fortaleza era a segunda mais cara entre as capitais nordestinas, ficando atrás apenas de Teresina. Além do leite, do arroz e da banana, a pesquisa também mostra aumentos nos preços do açúcar (4,18%), café (4,07%), carne (1,63%), manteiga (3,48%), farinha (2,73%) e feijão (3,48%). Já o preço do tomate reduziu 7,37%.

Considerando o valor do salário-mínimo atual do país, de R$880,00, para fins de cálculo, o trabalhador teve de gastar 102 horas e 32 minutos de sua jornada de trabalho mensal para poder comprar os 12 produtos que compõem a cesta básica. O gasto médio com alimentação de uma família padrão (composta por dois adultos e duas crianças) foi de R$1.230,33.

Ainda de acordo com esta pesquisa, a cesta básica em Fortaleza teve variação semestral e anual, respectivamente, de 5,80% e de 29,16%. A alimentação básica de agosto de 2016 (R$ 410,11) está mais cara do que em fevereiro de 2016 (R$ 387,63) e mais cara do que agosto de 2015 (R$ 317,52).

Colunistas

Ver tudo
16 de maio de 2019

Dragão Fashion Brasil ocorre em Fortaleza

Autor: Raquel Pessoa

css.php