12, janeiro, 2016

Descobrindo novos sabores no mundo das cervejas

Cervejas
Cervejas (Foto: Divulgação)

Não consigo imaginar um caminho de volta para aqueles que se acostumam a beber cervejas artesanais. Lembro bem que há alguns anos, quando ainda não conhecia a grande variedade das cervejas artesanais, eu podia escolher entre quatro ou no máximo cinco opções. Ela era a bebida da reunião com amigos, do tira-gosto e para aplacar o calor dos dias quentes.

A cerveja como a maioria das pessoas ainda conhece hoje, essas mais leves e de grandes corporações, foi uma invenção do mundo moderno, da revolução industrial. Para produzir com maior eficiência e ter mais lucros a cerveja passou a ter o sabor cada vez mais neutralizado. A escolha dos ingredientes que entravam na produção era baseada muito mais no corte de custos para maximizar lucros do que no objetivo de fazer o melhor produto possível. Hoje, a nossa “Pilsen” de cada dia não é nem sombra da que foi inventada na República Tcheca em 1842.

Tradicionalmente, a cerveja era um produto artesanal e muitas vezes feito em casa. Cada cidade tinha uma receita diferente. Isso ajudou a criar uma grande variedade de cervejas. Hoje temos mais de uma centena de estilos catalogados nos principais guias usados em competições cervejeiras. A grande surpresa é descobrir que aquelas quatro ou cinco opções que tínhamos são todas do mesmo estilo, a Lager Americana, e não Pilsen como declaram os fabricantes. Prove uma Pilsen da República Tcheca e você mesmo sentirá a diferença.

CervejaA cerveja está passando por uma onda de renascimento e valorização no mundo inteiro. Várias novas cervejarias estão surgindo e produzindo os mais variados estilos. O consumidor está mais curioso e se permitindo experimentar o novo. Quando escuto algumas pessoas dizerem que não gostam de cerveja, eu penso que, entre os mais de uma centena de estilos, deve existir pelo menos um que as agrade.

A riqueza de estilos permite que a cerveja seja uma bebida extremamente versátil. Você pode escolher uma Bohemian Pilsner ou uma Witbier para refrescar, uma English Bitter para abrir o apetite, uma Saison ou uma Gueuze para acompanhar um prato de alta gastronomia, uma Imperial Stout para harmonizar com chocolate, uma Biére Brut para comemorar ou mesmo uma Barley Wine para ser apreciada com calma depois de uma refeição. Todos os estilos tem seu momento. Mesmo a Lager Americana continua sendo opção para confraternizar com amigos. Só não faz mais sentido continuar bebendo somente um estilo de cerveja entre os tantos disponíveis.

Você já imaginou como seria passar a vida inteira sem saber o que é uma comida bem temperada e de repente conhecer o sal, a pimenta e todos os outros temperos que dão muito mais sabor e aroma às nossas refeições? Esta é exatamente a sensação que tenho desde que conheci as cervejas artesanais. Se você já entrou nesse mundo, meus parabéns! Você é um afortunado. Mas se você ainda não conhece as cervejas artesanais, não perca mais tempo. Prove e surpreenda-se!

Rodrigo Campos Oliveira
Dentista de profissão, tem a cerveja como hobby. Escreveu o primeiro blog especializado em cerveja da região Nordeste de 2008 a 2013. Palestrante e consultor para bares e restaurantes na área de cerveja. Faz cerveja caseira desde 2011 e ensina a fazer cerveja em seus cursos desde 2014. Atual presidente fundador da Acerva Cearense (Associação dos cervejeiros artesanais do Ceará).
Facebook do ParaQueVoCerveja
Instagram do ParaQueVoCerveja

Colunistas

Ver tudo
28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

31 de agosto de 2019

Fim de férias no delicioso Hotel Parque das Fontes de Beberibe

Autor: Patrícia Ferreira (Gourmet Fortaleza)

css.php