14, agosto, 2019

Descongelar alimentos: forma correta garante mais sabor e qualidade

Peixe
Peixes são um dos alimentos cuja conservação e descongelamento devem ser mais bem observados

Além da diferença no sabor, o descongelamento correto da comida mantém a qualidade e propriedades nutricionais

A correria do dia a dia e a falta de tempo são um dos desafios da vida moderna. O Portal Sabores já falou do assunto em outras matérias sobre a dificuldade de manter um estilo de vida saudável. A vida está cada vez mais corrida mesmo e para ganhar tempo na hora de fazer as refeições algumas pessoas optam pela otimização do tempo se alimentando com comidas congeladas. Na hora de preparar a refeição sempre tem aquele jeitinho brasileiro acelerando o processo com água ou calor, comprometendo o resultado, eliminando nutrientes essenciais dos alimentos, além de prejudicar o sabor e a textura.

Um ditado antigo já dizia que a pressa é inimiga da perfeição. Além do sabor, existem outros fatores que devem ser levados em consideração na hora do descongelamento como a proliferação de bactérias e fungos nos alimentos. Por isso, é extremamente importante aprender como descongelar de forma correta garantindo uma alimentação saborosa e saudável.

A nutricionista Gisele de Souza, da Chef Congelados, separou dicas práticas e essenciais para ajudar os apressadinhos. O primeiro passo se é uma comida pronta, é ler atentamente as instruções contidas nas embalagens e rótulos antes de aquecer os produtos.

Uma dica importante seja para pratos prontos ou até mesmo alimentos congelados de forma caseira é transferir 12 horas antes para pratos ou travessas que possam ser aquecidos em microondas, ou forno convencional (a gás ou elétrico), e que sejam mantidos em geladeira para o descongelamento até o momento do aquecimento. Caso não seja possível a transferência antecipada, os pratos podem ser aquecidos ainda congelados, porém o tempo de aquecimento é maior.

Outra recomendação é aquecer os pratos em temperatura média (aproximadamente 180ºC) no forno convencional (a gás ou elétrico), ou no microondas ajustado na potência 8. Para acertar no ponto, vale a pena verificar o andamento do aquecimento na metade do tempo recomendado na embalagem e fazer ajustes necessários, aumentando ou diminuindo o tempo de aquecimento.
A nutricionista ressalta que o tempo de aquecimento varia de acordo com o peso do produto, o tipo de forno e a temperatura utilizada. “É simples e faz uma diferença imensa no sabor, textura e apresentação dos pratos”, pontua Gisele.

Mais informações acesse o site: www.chefcongelados.com.br

Colunistas

Ver tudo
22 de fevereiro de 2020

Como cuidar da saúde no carnaval, evitar a ressaca e mais

Autor: Raquel Pessoa

28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php