14, outubro, 2013

Festival da Lagosta: Icapuí na rota da boa gastronomia

O destaque do festival foi o Salão de Gastronomia, que levou diversos pratos com lagosta

Por Hugo Renan do Nascimento*

A tradicional lagosta ao alho e óleo
A tradicional lagosta ao alho e óleo

Para valorizar a lagosta e as comunidades pesqueiras do município de Icapuí (CE), a Associação Grupo de Desenvolvimento do Turismo em Icapuí (GDTur) realizou no último fim de semana (de 11 a 13 de outubro) a oitava edição do Festival da Lagosta, nas praias da Redonda e Ponta Grossa. O Portal Sabores foi conferir o festival e os pratos servidos no Salão de Gastronomia.

A lagosta, servida em diversas variações, ganhou mais sabor, acompanhamentos e elementos regionais. Destaque para a lagosta com manjericão e abacaxi, o pirão de lagosta e o ensopado de lagosta com leite de coco, que mais parecia uma moqueca. Os pratos foram servidos no Salão de Gastronomia por um preço de R$ 10.

O restaurante Canaã, localizado na praia de Ponta Grossa, levou para o Salão de Gastronomia a lagosta ensopada com leite de coco. O prato, semelhante a moqueca, é servido com arroz e farofa, elementos muito comuns da culinária local. O ensopado leva ainda tomate, cheiro verde, cebola, e claro, a lagosta desfiada. Vai muito bem com uma cerveja gelada. O preço: R$ 60.

A barraca Por do Sol, na praia da Redonda, também apresentou a lagosta ensopada. Refogada com verduras, a lagosta leva molho branco e é cortada em pedaços. Serve duas pessoas a um preço de R$ 43.

Comandada por um italiano desde o início do ano, a Pousada e Restaurante Tremembé, na praia de Tremembé, levou ao Salão de Gastronomia dois pratos principais. A tradicional lagosta ao alho e óleo e o ensopado de lagosta, com pedaços grandes da iguaria. Destaque para o acompanhamento pirão de lagosta. O prato é feito como qualquer outro pirão (caldo e farinha), mas leva como toque especial pedacinhos da cabeça da lagosta. O ensopado, com os acompanhamentos arroz, farofa e pirão, custa R$ 30.

O simpático e popular Toinho, da Peixada do Toinho, serviu os pratos com caipirinha. O destaque é a tradicional lagosta ao alho e óleo, cozida na água, com sal e manteiga. Um quilo da lagosta custa R$ 45. Serve até 3 pessoas. O restaurante está localizado na última praia do litoral leste do Ceará, na praia de Manibu.

A Pousada Beija -Flor levou ao Salão de Gastronomia a Lagosta Recheada à Francesa. No cozimento da lagosta, vão salsinha e cebolinha. Depois de cozida, a carne é retirada e refogada com manteiga e champignon. Com molho branco, queijo mussarela e vinho branco, a lagosta volta para a casquinha e vai ao forno quente passada com farinha de rosca e queijo parmesão. O melhor de tudo, além do sabor, é o preço, R$ 10, com molho tártaro. A pousada fica na Praia da Redonda.

A cozinheira Margarida Veríssimo levou ao salão uma novidade para o festival. A lagosta ao molho de manjericão e abacaxi foi muito elogiado por quem degustava os pratos do salão. Margarida ainda acrescenta tomate em cubos grandes e suco de limão. O abacaxi também vai cortado em padaços, sem o suco. E a lagosta vai desfiada. Forte traço do manjericão, com um leve sabor do abacaxi e limão ao final. O prato custa R$ 35 no futuro restaurante de Margarida na Praia da Redonda, que será inaugurado ainda este mês.

Veja a cobertura completa aqui 

Festival de cultura e diversão
Além da culinária local, levando a lagosta como carro-chefe, o festival também levou aos moradores e turistas muita música, diversão, workshops e o evento da regata na praia de Ponta Grossa no último dia.

O festival realizou treinamentos, por meio do Sebrae-CE, para capacitar através de oficinas e adequar, no possível, o atendimento dentro dos equipamentos de lazer, na rede hoteleira, pousadas e restaurantes locais.

A estimativa de público superou a expectativa dos idealizadores, contando com a participação diária de cerca de duas mil pessoas, somente no salão gastronômico. Segundo o promotor do evento, Adriano Lima, durante os dois dias, foram comercializados no local 300 kg da iguaria. O número não inclui o produto vendido nos restaurantes de Icapuí.

*O jornalista viajou a convite do Festival da Lagosta

Colunistas

Ver tudo
22 de fevereiro de 2020

Como cuidar da saúde no carnaval, evitar a ressaca e mais

Autor: Raquel Pessoa

28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php