19, dezembro, 2013

Livros para enófilos

Presentes de Natal: os livros sobre vinhos que são preciosidades

Chegando o Natal, com que podemos presentear o amigo enófilo? A resposta é simples, uma garrafa de um bom vinho, mas…e se achássemos isso óbvio demais? Se ele precisasse de um empurrãozinho para se fascinar de vez com o mundo dos vinhos e nós gostaríamos de fazer parte desse processo? O presente ideal nesse caso é um bom livro, que fale de vinho, é claro.

A literatura que vem em nosso auxílio é bastante vasta, mesmo em Fortaleza são muitas as livrarias que oferecem excelentes opções para um presente como esse, vamos às dicas.

Se nosso amigo enófilo, ou enófila, for iniciante podemos optar por um livro abrangente, que contemple o passo a passo da produção do vinho, desde o cultivo da parreira, até o engarrafamento, com interessantes dicas de degustação e serviço, conselhos sobre a manutenção de uma adega doméstica, armazenamento e muito mais, o livro que responde aos requisitos acima é a enciclopédia “Larousse do Vinho”, um volume grande e de capa dura, muito bem escrito, com fotos belíssimas, uma obra que nos faz literalmente viajar no universo do vinho e passear pelos vinhedos ao redor do mundo, este livro é quase um curso completo; não é difícil de achar, nas boas livrarias, custa em torno de R$ 200,00.

Caso nosso amigo seja apaixonado pelos diferentes terroir, goste de viajar pelas regiões vinícolas a caça de preciosidade, o livro para ele é o “Atlas Mundial do Vinho”, escrito por Hugh Johnson e Jancis Robinson, dois jornalistas ingleses que ostentam o titulo raríssimo de “Master of Wine”. Existe a versão em português desta obra completa, constantemente atualizada, que abrange as principais regiões produtoras, sobretudo as francesas, evidenciando de forma perfeita as características de seus vinhos, fala de forma simples também sobre vinificação e cultivo da videira; é um volume de capa dura, daqueles que não podem ficar relegados a uma estante, mas devem ser exibidos na mesa do centro da sala; um presente e tanto, custa por volta de R$ 150,00, nas melhores livrarias da cidade.

Se a paixão do nosso sortudo enófilo é a degustação, então ele precisa ganhar a que eu considero a bíblia do degustador, o livro “O Gosto do Vinho – O Grande Livro da Degustação”, dos franceses Émile Peynaud e Jacques Blouin. Peynaud foi um dos principais enólogos do século XX, conferencista de fama mundial e professor da faculdade de enologia de Bordeaux, escreveu esta obra com tantos detalhes que, melhor que falar dela, prefiro citar um trecho: “…Os cheiros do vinho, de fato, nunca chegam a nós em grupo e mostrando a cara. É preciso agitar o vinho para forçá-los a sair, aspirá-lo com insistência. Deve-se aspirá-lo nos dois sentidos da palavra: absorver o seu cheiro respirando-o e tragá-lo aspirando-o entre os lábios. Então, as nuances finas se revelam. O buquê deve se evaporar do copo um pouco como uma fumaça; de uma respiração à outra, distinguem-se as volutas.”

Foi essa impressão vaporosa que fez com que se falasse de cheiros flutuantes, móveis, animados, resplandecentes, vivos. A inércia da memória impossibilita às vezes nomear os cheiros assim que são percebidos. É preciso repetir para identificá-los, voltar, desencadear evocações.

Primeiramente, o cheiro perseguido fica confuso, subitamente, torna-se evidente e a definição se superpõe exatamente à sensação. É no momento em que é nomeado que os participantes, bruscamente, o sentem por si mesmos; bastou abrir-lhes o caminho…” É pura literatura aplicada à arte da degustação, quase 250 páginas em capa dura, uma obra prima que não pode faltar na biblioteca de nenhum enófilo, um livro emocionante que vale cada um dos R$ 130,00 pelos quais poderá comprá-lo nas melhores livrarias de Fortaleza.

Colunistas

Ver tudo
28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php