20, agosto, 2014

Marcelo Pimentel: “sou um jovem sempre apaixonado pelo que fiz”

O Portal Sabores conversou com Marcelo Pimentel, criador do Barney’s Burger e Barney’s Ice Dream. Confira a entrevista

Marcelo Pimentel: "acho que a gente deve sempre tentar passar o melhor ao próximo... É no que acredito"
Marcelo Pimentel: “acho que a gente deve sempre tentar passar o melhor ao próximo… É no que acredito”.

Orgulhoso do nome que levantou em tão pouco tempo, Marcelo Pimentel vê o Barney’s como um pai muito carinhoso vê o filho. Nas palavras do próprio, “apaixonado por gente” e “por ver gente feliz”, suas filosofias pessoais permeiam todo o seu trabalho dentro da hamburgueria e da sorveteria que criou, bem com influenciam o modo de falar sobre o que faz. A empolgação e os sonhos, muitos trazidos da juventude, hoje se veem consolidados aos olhos de Pimentel nas paredes, no design e nos pratos servidos a todo instante no Barney’s Burger e Barney’s Ice Dream. Para ele, a casa é uma enorme concretização de vida.

O Portal Sabores entrevistou o grande nome por detrás da marca Barney’s. Confira a entrevista abaixo.

Como se deu o nascimento da marca Barney’s?

O empreendimento Barney’s é um empreendimento de idealização e desenvolvimento meu… De todo recurso e de abertura de loja, desde o nome, conceito, identidade e criação de cardápio. As pessoas acham que a sorveteria nasceu depois da hamburgueria porque o mercado hoje cresceu pro sorvete… E na verdade não, eu mesmo venho do ramo de sorvete.

Então antes do Barney’s Burger você já possuía experiência com o ramo gastronômico?

Sim. Eu tinha uma distribuidora e representação de cacau. Passei dois a três anos e conheci todas as sorveterias de Fortaleza… E aí estava montado uma sorveteria, com um projeto, quando montei a hamburgueria. A hamburgueria acabou nascendo sem querer, nasceu num projeto em casa brincando com os amigos. As pessoas diziam “Marcelo, porque você não monta uma lanchonete?” e eu comecei a pensar nisso… Fui para São Paulo e Nova York fazer uma pesquisa de campo, estudei, e quando voltei decidi montar o restaurante.

E o Barney’s Ice Dream?

Como fiquei muito a frente do Barney’s Burger e a gente tem um projeto muito grande, o Barney’s Burger, a fábrica, o delivery e agora o projeto de franquia, eu convidei o meu irmão (Magno Pimentel) para ficar a frente do empreendimento. Ele topou e hoje é ele quem toca a sorveteria. Quando fui desenvolver a sorveteria, levei ele para São Paulo, apresentei tudo o que eu conhecia de sorveteria para ele. Tanto é que o projeto da sorveteria nasceu em um mês porque eu não fui desenvolver o projeto, eu já tinha projeto, já sabia o que ia comprar, já conhecia maquinário e já tinha fornecedor. Expliquei e passei a ele tudo o que eu sabia. Hoje é ele quem comanda a sorveteria, mas o conceito, o empreendimento e a marca quem administra sou eu.

Onde você foi buscar inspirações para criar o Barney’s Burger?

Na realidade a ideia do Barney’s Burger surgiu em casa brincando com os amigos. Depois eu tinha que desenvolver uma loja, um conceito até então não visto no nordeste. Então pensei, vou ter que criar um negócio atrativo, que tenha uma comunicação legal, que passe uma energia positiva para o cliente… E basicamente o conceito lá de dentro, que é o conceito dos anos 60 e 70, é o que eu sou apaixonado. Eu sempre falo que eu queria ter nascido no final dos anos 50, para ter sido criança nos anos 60 e jovem nos 70. Então o Barney’s nada mais é do que uma paixão minha, do que eu queria ter vivido.

Você vê então paixão pela cultura da época retratada considerando o esforço que tem em recriar essa atmosfera e passá-la aos seus clientes?

Sim, é paixão. É realmente a forma com que se eu pensasse um dia em entrar num estabelecimento, eu queria que ele fosse igual ao Barney’s. Às vezes fico até me perguntando se o Barney’s não fosse meu, quantas vezes eu iria para o Barney’s na semana (risos). Sou apaixonado por aquela decoração, por aquele ambiente e aquele tipo de música. É uma paixão minha desde pequeno.

Parte da sua identidade pessoal quanto às suas paixões juvenis se encontra projetada no design e identidade visual da casa?

Isso. E fora isso eu tive também uma empresa de comunicação visual, entre seis e sete anos atrás.

E quando começou em vias de fato o seu negócio com o Barney’s em Fortaleza?

Como eu disse, o projeto nasceu de uma brincadeira e aí a coisa começou a crescer. Quando foi no finalzinho de 2011 eu decidi montar o restaurante, comecei a obra e então inaugurei a casa. Foi muito trabalhoso e difícil, nunca tinha tocado uma obra na vida então tive que aprender muito sobre obra, serviço, equipamento e tecnologia… Mas graças a Deus consegui passar por tudo isso.

Houve dificuldades quanto à inauguração?

A gente teve uma inauguração muito violenta, no dia que a casa inaugurou a gente teve a casa lotada, no segundo dia, no primeiro mês… Eu tinha me preparado para atender X, atendi 2, 3, 4 X, não tinha funcionários suficientes preparados, não tinha sistema, mas graças a Deus consegui superar isso tudo também.

Você falou que tudo isso começou com uma brincadeira entre amigos… E na parte de receitas da casa, tudo foi realmente pensado por você? Pode-se dizer que é o grande chef do Barney’s?

Todas as receitas são idealizadas por mim. Quando vou desenvolver um cardápio eu tiro duas semanas, três semanas, sento sozinho… E aí começo a desenhar o cardápio, ver no que eu acredito, penso em algum diferencial para o meu cliente, algum produto inovador… Algo que vá remeter uma sensação muito bacana ao meu cliente e tirar um sorriso dele.

E na cozinha, quais são suas principais inspirações?

Basicamente eu tenho ideias. Eu estou aqui e “vamos pensar aqui num hambúrguer?”, tento fazer um hambúrguer diferente até gostar. Mas não tenho muito aquela inspiração de estudar muito, de ver vídeos e fazer uma faculdade. No meu caso, é muito mais um insight meu. Às vezes eu estou aqui parado e vem a ideia, eu tento idealizar, algumas dão certo, outras não.

Você enxerga toda a sua trajetória até aqui com o Barney’s de que forma?

Como um sonho. Tinha um sonho de montar uma sorveteria, porque era uma coisa que eu gostava e sabia, e montei a hamburgueria em cima de um sonho também… A gente começou a brincar, aquela brincadeira virou vontade, aquela vontade virou um sonho, e aí montamos a hamburgueria. Depois fui resgatar o meu segundo sonho quando eu realizei o primeiro: a sorveteria.

Coloquei a hamburgueria no mercado, a hamburgueria ganhou todos os prêmios que poderia ganhar… Melhor hambúrguer de Fortaleza pela Veja em 2012 e 2013. A gente esteve também em 2013 na Revista Prazeres da Mesa em São Paulo concorrendo entre os cinco melhores hambúrgueres do Brasil. Uma hamburgueria local com um ano e meio conseguir isso foi maravilhoso.

E os próximos planos e projetos da marca Barney’s?

A loja nova, que está chegando com um projeto inovador e vai trazer para Fortaleza o que a gente vê fora do país, muito baseado em cima de projetos de Nova York, Hollywood, Los Angeles… É uma loja que tem toda uma arquitetura e estrutura diferente. Para você ter uma ideia, a gente tem uma kombi no segundo andar que o cliente come dentro dela, motos penduradas… É um projeto bem ousado. Já os outros projetos, de novas marcas, não posso falar agora, pois somos muito visados, mas posso garantir que tem muita coisa vindo. No ramo da gastronomia tem muita coisa nova, mas por enquanto, as ideias que estão por vir são um segredinho nosso (risos).

Serviço

Barney’s Burger
Funcionamento: Às terças, quartas e domingos, das 17h às 23h. Às quintas, sextas e sábados, das 17h a 0h. Fecha segunda.
Rua/Av: Maria Tomásia, 740
Bairro: Aldeota
Telefone: (85)3099.3003

Barney’s Ice Dream
Rua Maria Tomásia, 746, ao lado do Barney’s Burger, Aldeota.
Telefone: 85 3045-3001
Funciona de terça a domingo, de 12h às 00h

Colunistas

Ver tudo
22 de fevereiro de 2020

Como cuidar da saúde no carnaval, evitar a ressaca e mais

Autor: Raquel Pessoa

28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php