5, junho, 2013

Para incentivar a criatividade regional

Palestras e mesas redondas do Congresso Internacional de Gastronomia e Ciência de Alimentos discutem produtos locais e identidade regional na cozinha

O segundo dia do Congresso Internacional de Gastronomia e Ciência de Alimentos aconteceu nesta terça (4), no Marina Park Hotel. A programação teve palestras e mesas redondas com discussões sobre produtos de pescado, saudabilidade da carne suína, produtos locais na gastronomia e legitimidade das cozinhas regionais.

Os diversos produtos regionais na gastronomia foram pauta de uma mesa redonda com Prof. Leo Gondim, da Universidade Federal do Ceará (UFC), Dra. Selene Dahia Benevides, pesquisadora da Embrapa, e Chef Ivan Prado, do SENAC. O uso criativo dos ingredientes, a apresentação dos pratos aos comensais, o incentivo aos produtores locais e o consumo crescente dos ingredientes da nossa cozinha foram aspectos discutidos pelos palestrantes em diálogo com o público.

Leo Gondim falou dos insumos regionais sem restringir o uso à alta gastronomia. Segundo ele, a maneira popular é a mais interessante de consumir os alimentos. “A utilização dos produtos locais demanda criatividade, e o consumo está crescendo por serem ingredientes mais frescos, sustentáveis e produzidos em lugares próximos”, afirma o professor.

Já Selene Dahia, pesquisadora da Embrapa Caprinos e Ovinos de Sobral, falou sobre alguns dos principais produtos utilizados na cozinha cearense, tanto nas casas quanto nos restaurantes. A indicação geográfica do queijo coalho e as características da rapadura, das carnes caprina e ovina e de outros insumos regionais foram falados pela pesquisadora. Ivan Prado destacou o arroz de palmácia, o camarão da costa negra e outros elementos da cozinha cearense que têm excelente qualidade e merecem ser utilizados com mais frequência pelo grande público. “É importante que se questione o que fazer com a cadeia produtiva, para incentivar o uso desses insumos e potencializar esse público e essa cozinha de forma diferenciada”, explica o chef.

Carlos Alberto Dória fala sobre legitimidade da cozinha regional. Foto: Thamires Oliveira
Carlos Alberto Dória fala sobre legitimidade da cozinha regional. Foto: Thamires Oliveira

A palestra com Carlos Alberto Dória, pós-doutorando na Unicamp e professor universitário de Introdução à Sociologia da Alimentação, teve como tema “Cozinhas Regionais: legitimidade e legibilidade nacional”. Questões diversas sobre como estabelecer os limites de uma culinária local foram explicadas pelo palestrante. Para Carlos, é preciso comparar a cozinha de outros lugares, ouvir as críticas de outras culturas, estabelecer diferenças e deixar claro para os de fora a identidade da culinária regional, já que nem todos podem entender os ingredientes. Outro fator importante é reconhecer que a técnica evolui sem necessariamente prejudicar a identidade de uma cultura. É preciso, também, observar a linguagem estética dos pratos. Alguns exemplos da culinária regional enfrentam essa barreira, o que pode ser ressignificado por meio de uma intervenção.

O Congresso Internacional de Gastronomia e Ciência de Alimentos termina nesta quarta (5), com palestras e mesas redondas sobre produtos do campo, cozinha japonesa, identidade cultural a partir da alimentação e patrimonização da comida.

Confira o vídeo com imagens do evento e entrevistas:

Veja a galeria de fotos do segundo dia do evento:

Serviço
Congresso Internacional de Gastronomia e Ciência de Alimentos
Data: 3 a 5 de junho
Local: Marina Park Hotel
Site: www.congressogastronomia.ufc.br

Colunistas

Ver tudo
22 de fevereiro de 2020

Como cuidar da saúde no carnaval, evitar a ressaca e mais

Autor: Raquel Pessoa

28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php