30, junho, 2020

Restaurantes em Fortaleza se preparam para ampliação de horários

Colosso
Colosso foi um dos estabelecimentos na capital que reabriu seu funcionamento durante a fase 2 do plano de reabertura (Divulgação)

Desde o dia 22 de junho, Fortaleza entrou na fase 2 do Plano Responsável de Abertura das Atividades Econômicas e Comportamentais do Ceará. Isso representou uma possibilidade de reabertura para diversos estabelecimentos do segmento gastronômico da capital, que passaram a funcionar durante o horário do almoço. A adaptação ao novo normal incluiu a adoção de um rígido conjunto de medidas sanitárias preventivas, concebidas pelo Governo do Estado para garantir a segurança dessas operações. Agora, os estabelecimentos preparam-se para a fase 3, com data provável no dia 6 de junho, que garantirá a ampliação dos horários de funcionamento para o jantar.

Na fase vigente, que completou uma semana de duração ontem, os restaurantes de Fortaleza têm permissão para a abertura de suas lojas físicas com limite de operação de 50% da capacidade de atendimento simultâneo. A atual janela de horários inclui o período do almoço, das 11h às 16h. Desde então, tem sido vedada a realização de eventos, celebrações e de música ao vivo. Aferição de temperatura, disponibilização de álcool em gel 70% e possibilidade de apenas dois ocupantes por mesa foram algumas das regras impostas no “novo normal” do setor.

Barraca de praia
Barracas de praia preparam-se para reabrir no dia 6 de junho (Divulgação)

Para o dia 6 de junho, projeta-se que 50% da força de trabalho da capital estará de volta às ruas, com utilização de 50% da capacidade total do setor. As barracas de praia, que não reabriram durante a segunda fase, passam a ter a sua reabertura permitida. Além disso, os horários de funcionamento dos estabelecimentos poderão se alongar até as 23h, abrangendo o período do jantar. A liberação total de horários e capacidade só ocorrerá quando da transição definitiva para a fase 4.

Com o avanço da pandemia do coronavírus em todo o Brasil, os estabelecimentos do setor de alimentação tiveram que se adaptar à nova realidade buscando operar com esquema de delivery, take away e drive thru, permitidos desde o início das medidas de isolamento social. Foram cerca de três meses de fechamento das lojas físicas até o início da reabertura gradual, o que afetou diretamente o faturamento do setor. Segundo dados da seccional Ceará da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), só no mercado formal, já se contabilizam mais de 20 mil demissões. Ao mesmo tempo, a pandemia continua avançando no interior do estado, que permanece na fase de transição, com diversas cidades, como Sobral e Iguatu, tendo adotado o isolamento rígido.

Colunistas

Ver tudo
22 de fevereiro de 2020

Como cuidar da saúde no carnaval, evitar a ressaca e mais

Autor: Raquel Pessoa

28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php