2, maio, 2013

Sabor do espumante nacional

Uma dica interessante para o almoço do dia das mães é levantar um brinde, ao final da refeição, com um excelente espumante Moscatel brasileiro. Melhor ainda se acompanhado de uma boa torta de fruta, tipo “crostata”. Nem todos sabem, mas o espumante moscatel brasileiro alcançou um nível de qualidade muito próximo, na média, do celebrado Asti italiano, da região do Piemonte, que inspirou a produção dos moscatéis da Serra Gaúcha.

Esse espumante, que é suave e muito agradável de se tomar no clima tropical de nossa região, é produzido a partir de diferentes variedades de uva moscatel. As mais conhecidas são o Moscato Bianco e o Moscato Giallo, ambos de origem italiana. Também é admitido o uso de Malvasia, outro varietal aromático.

A diferente porcentagem com a qual as uvas acima entram no blend final determina a qualidade do espumante. Quanto mais Moscato Bianco, mais o vinho será leve e adoçado. Se o Moscato Giallo prevalece, o vinho ganha estrutura e acidez para equilibrar a doçura natural e o espumante se torna mais aromático e equilibrado. Obviamente, as uvas acima têm custo diferenciado, por isso os Moscatéis com predominância de Moscato Giallo costumam ser espumantes um pouco mais caros.

Uma pequena noção sobre a produção desse peculiar espumante se faz necessária. O Moscatel é produzido a partir de um método conhecido no mundo como Método Asti, nome da cidade piemontesa que o desenvolveu no século passado. Outro nome utilizado internacionalmente é Charmat Curto. Esse método consiste em colocar o mosto das uvas, após a prensagem, dentro de um tanque fechado hermeticamente, denominado “Autoclave”. Nesse tanque se inicia a fermentação alcoólica, processo no qual os açucares presentes na uva se transformam em álcool.

Quando a fermentação ainda não está concluída, o enólogo baixa a temperatura do tanque drasticamente, interrompendo assim a conversão do açúcar em álcool. Assim, nós temos um vinho de baixo teor alcoólico, com boa quantidade de açúcar residual e rico em gás carbônico resultante da fermentação, que ficou retido no tanque fechado e está presente no vinho sob forma de borbulhas. O resultado que se consegue é um vinho de sabor suave, muito frutado e com perlage fino e elegante. Neste momento, sempre em baixa temperatura, perto de 0°C, o vinho é filtrado e engarrafado. Depois de passar por um período de estabilização de poucas semanas, é vendido para o comércio.

O espumante Casa Valduga Reserva Moscatel é um dos vinhos mais premiados da vinícola. Ele apresenta cor amarelo muito claro, quase transparente, típico do Moscatel, com perlage fino e persistente. O aroma é muito rico em frutas tropicais, flores brancas, damasco e ervas aromáticas. Na boca ele se apresenta suave, a boa veia ácida do Moscato Giallo contrasta a doçura e torna o vinho refrescante e nada enjoativo. É um excelente exemplar dos bons Moscatéis do Brasil, que ganha mercado e destaque no mundo todo.

O Casa Valduga Reserva Moscatel é distribuído em Fortaleza pela Opcão Distribuidora e pode ser encontrado nos melhores restaurantes e lojas especializadas.

O Portal Sabores em parceria com a Distribuidora Opção vai sortear uma garrafa desse vinho. Clique aqui para participar da promoção. 

Marco Ferrari, italiano, sommelier formado pela Fisar – Piemonte, é profissional do vinho desde 1994, presta consultorias, cursos e treinamentos sobre o mundo do vinho. Docente convidado no Curso de Gastronomia da Universidade Federal do Ceará. Escreve sobre vinho para as revistas italianas Turismo del Gusto e Il Sommelier e no blog Vinho Fortaleza.

 

Colunistas

Ver tudo
31 de agosto de 2019

Fim de férias no delicioso Hotel Parque das Fontes de Beberibe

Autor: Patrícia Ferreira (Gourmet Fortaleza)

css.php