14, fevereiro, 2013

Sabor do vinho chileno

 

 
No Chile, a produção e comercialização do vinho é dominada pelas grandes vinícolas, produtores conhecidos internacionalmente como Concha y Toro, Viña San Pedro y Tarapacá, Carmen, Errazuriz e outros tantos, possuem centenas e até milhares de hectares de vinhedos divididos entre as varias regiões do país.
 
Desta forma o vinho no Chile sofre uma influencia bastante corporativista, com a vantagem de uma fácil compreensão com relação à classificação, que começa pelos vinhos de entrada, geralmente varietais, frutados e leves sem passagem por madeira, em seguida os “Reserva”, onde os tintos fazem uma pequena passagem por madeira (de 4 a 8 meses, total ou parcial, dependendo do produtor), mais acima temos os “Gran Reserva”, vinhos mais potentes, de certa guarda com uma maturação em barrica de cerca de 12 meses ou pouco mais; acima desta categoria cada vinícola segue sua política e apresenta suas preciosidades e seus vinhos “ícone”, bastante caros e muito bem avaliados pela critica internacional. 
 
Esta organização corporativa fez do vinho chileno um produto confiável e de interessante custo benefício, embora, por outro lado, tenha facilitado certa padronização; é fácil encontrar vinhos de características similares, mesmo entre produtores diferentes, sobretudo nas faixas de preço mais baixas.
 
O vinho que apresentamos hoje é o Tarapacá Gran Reserva Sauvignon Blanc 2010, produzido no Vale de Leyda; este rótulo representa a tentativa, a meu ver bem sucedida, da Viña Tarapacá, de fugir um pouco daquela padronização de que falava antes, logo foram buscar as características minerais e austera das uvas do Vale de Leyda, a apenas 7 km do frio e úmido litoral do Pacifico, que no Chile confere mineralidade e frescor aos vinhos brancos. Apenas 5% deste Sauvignon Blanc foi fermentado em barricas de carvalho francês, a maioria do vinho foi fermentado e maturado em aço inox, para preservar todo o frescor e a mineralidade. 
 
De cor amarelo brilhante com reflexos esverdeados, no nariz mistura aromas de frutas tropicais tênues, pera e frutas cítricas, sobre uma nota típica varietal de origem vegetal, lembrando arruda, com toques minerais, característicos do Sauvignon Blanc de Leyda, que lembram a pedra de isqueiro; na boca é refrescante, vibrante e sápido, apresenta uma persistência longa de vinho de classe. Harmonize este belo vinho com um ceviche, entradas de peixes e frutos do mar, salada de polvo ou sushi.
 
O Tarapacá Gran reserva Sauvignon Blanc é importado pela Licínio Dias de Recife e distribuído em Fortaleza pela Opção Distribuidora.
 
 
O Portal Sabores em parceria com a Opção Distribuidora vai sortear uma garrafa desse vinho. Clique aqui para participar da promoção
 
 
Marco Ferrari, italiano, sommelier formado pela Fisar – Piemonte, é profissional do vinho desde 1994, presta consultorias, cursos e treinamentos sobre o mundo do vinho. Docente convidado no Curso de Gastronomia da Universidade Federal do Ceará. Escreve sobre vinho para as revistas italianas Turismo del Gusto e Il Sommelier e no blog Vinho Fortaleza.
 
 

Colunistas

Ver tudo
22 de fevereiro de 2020

Como cuidar da saúde no carnaval, evitar a ressaca e mais

Autor: Raquel Pessoa

28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php