17, novembro, 2014

Turismo cervejeiro em Jericoacoara

Nosso colunista desfrutando das belezas de Jericoacoara (Foto: João Filho/Cervas Fortal)
Nosso colunista desfrutando das belezas de Jericoacoara (Foto: João Filho/Cervas Fortal)

No final de semana anterior tive a oportunidade de retornar para Jericoacora, ou simplesmente Jeri, como é chamada pelos mais íntimos. Esse paraíso já foi eleito pelo Washington Post como uma das dez praias mais lindas do mundo, e é um dos roteiros mais cobiçados no nordeste brasileiro.

A praia fica à cerca de 300km de Fortaleza, e como ela é parte integrante do Parque Nacional de Jericoacoara, são proibidas estradas pavimentadas de acesso nos últimos quinze quilômetros. Ou seja, o trajeto final até Jeri só pode realizado pelos areais e dunas, de preferência com veículos com tração nas quatro rodas.

Mas o intuito aqui não é falar das inúmeras belezas da praia, e sim responder a uma pergunta: onde eu acho cervejas especiais nesse paraíso? Confesso aos amigos que, como assíduo visitante de Jeri, não esperava achar nada além das comuns cervejas de massa, e para piorar, com um preço bem salgado.

Cerveja e mar (Foto: João Filho/Cervas Fortal)
Cerveja e mar (Foto: João Filho/Cervas Fortal)

Cheguei por volta do meio-dia e fui direto para uns dos restaurantes que ficam na beira da praia para comer um bom peixe na brasa e matar a sede com uma cerveja. Mas no cardápio, como eu já suspeitava, apenas as cervejas mainstream. E o preço? Dez reais a garrafa de 600ml, isso a mais barata!

Vale lembrar que nos passeios das lagoas (não deixe de fazer!) o valor chega a até 15 reais. A vista é linda, mas as cervejas…

Como precisava comprar gelo para gelar as cervejas que trouxe comigo, passei em alguns mercadinhos que ficam na rua principal. Para minha surpresa, em dois deles é possível achar algumas premiuns, coisa que não tinha visto nas visitas anteriores. O problema continua sendo o preço: cerca de R$4,00 a long neck.

A noite finalmente chega, e os prazeres noturnos de Jeri não seriam os mesmos sem uma boa cerveja. O problema é achar uma boa cerveja… Na verdade era. Descendo a rua principal em direção à praia, achei uma simpática lojinha chamada Santa Conveniência, e seu freezer com mais cervejas premium. Sei que, para os mais exigentes, talvez não seja muita coisa. Mas experimentem ficar um dia a base das nossas pilsens padrão… O valor? Seis reais a long neck da Gold e da Sagres Bohemia, mas confesso que paguei sem titubear.

Depois de achar esse local, pensei que Jeri não me daria outra agradável surpresa. Estava enganado. Colada na minha pousada existia a Serafim Hamburgueria, que eu tinha deixado passar despercebida, até que placas me chamaram a atenção.

Jantar na Serafim Hamburgueria (Foto: João Filho/Cervas Fortal)
Jantar na Serafim Hamburgueria (Foto: João Filho/Cervas Fortal)

Como bom apreciador de hambúrguer, não pude resistir ao chamado e resolvi conhecer o local. Para minha felicidade encontrei no local uma carta de cervejas especiais que contemplava a Samuel Adams Boston Lager, Samuel Adams Black Lager, Samuel Adams Boston Ale, St. Gallen Weissbier, St. Gallen Stout Porter, Hacker-Pschorr Anno 1417, Paulaner Hefe-Weissbier, Murphy’s Irish Red, Therezópolis Gold Sol (mexicana). Tá, mas e o preço?

Diante do que eu vejo em Fortaleza, achei os valores justos. Por exemplo, a Samuel Adams saiu por R$9,00. Tem hamburgueria na capital vendendo por R$10,00. Mais uma vez, os mais exigentes vão reclamar, mas aposto que não deixariam de tomar uma cerveja ali…

Além das cervejas, o cardápio chama a atenção pela variedade. Tem hambúrguer de camarão, de salmão, e até de carne de caranguejo. Mas depois de dias comendo frutos do mar, a pedida foi o Serafa’s Burger, que além de 190g de hambúrguer artesanal, levava cebola caramelizada levemente picante, chips de banana, queijo mussarela e molho com ervas finas.

Apesar da distância e do duro trajeto até Jeri, acredito que é questão de tempo para as cervejas especiais começarem a figurar na carta de outros restaurantes. Enquanto isso, fica dica: apesar da visível evolução, não deixe de levar seu cooler e suas próprias cervejas, com certeza sua viagem vai ficar mais interessante com elas.

Colunistas

Ver tudo
22 de fevereiro de 2020

Como cuidar da saúde no carnaval, evitar a ressaca e mais

Autor: Raquel Pessoa

28 de novembro de 2019

As “cervezas” dos “hermanos”: cenário e cervejas na Argentina

Autor: Samuel Magalhães (@SamCervas)

css.php